Entenda oque é Bitcoin

Bitcoin é a primeira e a mais famosa criptomoeda do mundo digital. O volume global de transações realizadas em Bitcoin de janeiro a agosto de 2018 atingiu valor equivalente a US$ 830 bilhões. Pode ser usada como meio de pagamento e não é emitida pelo banco central de um país, nem depende de qualquer outra autoridade monetária.

Como surgiu o Bitcoin?

Sua criação, em 2008, é atribuída a Satoshi Nakamoto e é baseada em um sistema de regras públicas definidas por um código que só pode ser modificado pelo consenso de todos os participantes da rede. Para evitar fraudes, todas as transações feitas com a moeda digital são registradas em um banco de dados descentralizado e público, que é o blockchain.

Quais são as vantagens do Bitcoin?

O Bitcoin tem diversas propriedades e formas de uso, mas vamos abordar uma bem específica: bitcoin como moeda. Mas quais as vantagens do bitcoin como moeda? São muitas! Vamos ressaltar as principais: liberdade de pagamento, taxas menores, segurança, privacidade, controle e transparência.

Nenhum Bitcoin pode ser confiscado, você pode mandá-lo para quem quiser pagando taxas menores. Além disso, ele é seguro e dá mais privacidade, controle e transparência nas negociações. Contudo, o Bitcoin pode ser utilizado também como investimento para que está procurando diversificar seu patrimônio para ter melhores ganhos. O Bitcoin trouxe excelentes retornos e a tendência é que ele se torne mais popular a longo prazo.

Um dos ativos digitais com maior valorização nos últimos tempo

Como alternativa para diversificação, investidores de todo o mundo passaram a investir em Bitcoin. Um dos principais motivos foi a supervalorização de 1.400% em 2017, quando o Bitcoin valia menos de mil dólares no início do ano (cerca de R$ 3.400) e, em dezembro, atingiu sua maior cotação, chegando a US$ 19.300 (quase R$ 70 mil). Com isso, a criptomoeda se tornou a bola da vez no mundo dos investimentos. 

Mesmo quem torcia o nariz para investimentos mais arriscados passou a acompanhar o movimento das moedas digitais esperando conseguir rendimento superior ao oferecido pelos tradicionais produtos de renda variável. No Brasil, inclusive, o número de investidores em criptoativos, superou o total de pessoas físicas que operam na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) e de todos os investidores ativos do Tesouro Direto. Já são mais de 1 milhão de pessoas cadastradas nas maiores exchanges de criptoativos do país.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *